O que é coronavírus?

Coronavírus (CID10) é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Período de incubação do coronavírus

Período de incubação é o tempo que leva para os primeiros sintomas aparecerem desde a infecção por coronavírus, que pode ser de 2 a 14 dias.

 Período de transmissibilidade do coronavírus

De uma forma geral, a transmissão viral ocorre apenas enquanto persistirem os sintomas É possível a transmissão viral após a resolução dos sintomas, mas a duração do período de transmissibilidade é desconhecido para o coronavírus. Durante o período de incubação e casos assintomáticos não são contagiosos.


Fonte de infecção do coronavírus

A maioria dos coronavírus geralmente infectam apenas uma espécie animal ou pelo menos um pequeno número de espécies proximamente relacionadas. Porém, alguns coronavírus, como o SARS-CoV, podem infectar pessoas e animais. O reservatório animal para o coronavírus (COVID-19) ainda é desconhecido.

Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. No entanto, o coronavírus (SARS-CoV-2) ainda precisa de mais estudos e investigações para caracterizar melhor os sinais e sintomas da doença.

Os principais são sintomas conhecidos até o momento são:
• Febre.
• Tosse.
• Dificuldade para respirar.
As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está ocorrendo.

Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1m) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção.

É importante observar que a disseminação de pessoa para pessoa pode ocorrer de forma continuada.

Alguns vírus são altamente contagiosos (como sarampo), enquanto outros são menos. Ainda não está claro com que facilidade o coronavírus se espalha de pessoa para pessoa.

Apesar disso, a transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

• gotículas de saliva;
• espirro;
• tosse;
• catarro;
• contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
• contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe.

O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam a 12 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

A transmissibilidade dos pacientes infectados por SARSCoV é em média de 7 dias após o início dos sintomas. No entanto, dados preliminares do coronavírus (SARS-CoV-2) sugerem que a transmissão possa ocorrer mesmo sem o aparecimento de sinais e sintomas.

Até o momento, não há informações suficientes de quantos dias anteriores ao início dos sinais e sintomas uma pessoa infectada passa a transmitir o vírus.
O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

• Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
• Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
• Evitar contato próximo com pessoas doentes.
• Ficar em casa quando estiver doente.
• Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
• Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.
Diante da confirmação de caso do coronavírus no Brasil e considerando a dispersão do vírus no mundo. A Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde informa que a partir de 01 de março de 2020, passa a vigorar as seguintes definições operacionais para a saúde pública nacional.
1. CASO SUSPEITO DE DOENÇA PELO CORONAVÍRUS 2019 (COVID-19)
• Situação 1 – VIAJANTE: pessoa que apresente febre E pelo menos um dos sinais ou sintomas respiratórios (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia) E com histórico de viagem para país com transmissão sustentada OU área com transmissão local nos últimos 14 dias (figura 1); OU
• Situação 2 - CONTATO PRÓXIMO: Pessoa que apresente febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia) E histórico de contato com caso suspeito ou confirmado para COVID-19, nos últimos 14 dias.
2. CASO PROVÁVEL DE DOENÇA PELO CORONAVÍRUS 2019 (COVID-19)
• Situação 3 - CONTATO DOMICILIAR: Pessoa que manteve contato domiciliar com caso confirmado por COVID-19 nos últimos 14 dias E que apresente febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, saturação de O2 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia). Nesta situação é importante observar a presença de outros sinais e sintomas como: fadiga, mialgia/artralgia, dor de cabeça, calafrios, manchas vermelhas pelo corpo, gânglios linfáticos aumentados, diarreia, náusea, vômito, desidratação e inapetência
3. CASO CONFIRMADO DE DOENÇA PELO CORONAVÍRUS 2019 (COVID-19)
• LABORATORIAL: Caso suspeito ou provável com resultado positivo em RT-PCR em tempo real, pelo protocolo Charité.
• CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO: Caso suspeito ou provável com histórico de contato próximo ou domiciliar com caso confirmado laboratorialmente por COVID-19, que apresente febre OU pelo menos um dos sinais ou sintomas respiratórios, nos últimos 14 dias após o contato, e para o qual não foi possível realizar a investigação laboratorial específica.
4. OBSERVAÇÕES
• FEBRE: Considera-se febre aquela acima de 37,8°.
Alerta-se que a febre pode não estar presente em alguns casos como, por exemplo, em pacientes jovens, idosos, imunossuprimidos ou que em algumas situações possam ter Boletim Epidemiológico utilizado medicamento antitérmico. Nestas situações, a avaliação clínica deve ser levada em consideração e a decisão deve ser registrada na ficha de notificação.
• CONTATO PRÓXIMO DE CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE COVID-19:
o Uma pessoa que teve contato físico direto (por exemplo, apertando as mãos);
o Uma pessoa que tenha contato direto desprotegido com secreções infecciosas (por exemplo, sendo tossida, tocando tecidos de papel usados com a mão nua);
o Uma pessoa que teve contato frente a frente por 15 minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 metros;
o Uma pessoa que esteve em um ambiente fechado (por exemplo, sala de aula, sala de reunião, sala de espera do hospital etc.) por 15 minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 metros; ○ Um profissional de saúde ou outra pessoa que cuida diretamente de um caso COVID-19 ou trabalhadores de laboratório que manipulam amostras de um caso COVID-19 sem equipamento de proteção individual recomendado (EPI) ou com uma possível violação do EPI;
o Um passageiro de uma aeronave sentado no raio de dois assentos (em qualquer direção) de um caso confirmado de COVID-19, seus acompanhantes ou cuidadores e os tripulantes que trabalharam na seção da aeronave em que o caso estava sentado
• CONTATO DOMICILIAR DE CASO SUSPEITO OU CONFIRMADO DE COVID-19:
o Uma pessoa que reside na mesma casa/ambiente. Devem ser considerados os residentes da mesma casa, colegas de dormitório, creche, alojamento, etc.
A avaliação do grau de exposição do contato deve ser individualizada, considerando-se, o ambiente e o tempo de exposição

AUDIO MinSaúde - ESPECIAL CORONAVÍRUS: Saiba como identificar e se proteger dessa doença :  Clique aqui


O que você precisa saber e fazer. Fique atento aos sintomas e às formas de prevenção da doença. :  Clique aqui


Para se proteger? Confira No minuto saúde, a gente te ensina algumas medidas simples que você pode e deve adotar no seu dia a dia :  Clique aqui


Saiba como proteger você e sua família do coronavírus :  Clique aqui


Pessoas com sintomas gripais leves, como tosse, devem ficar em isolamento domiciliar. Você sabe o que é isso? Confira :  Clique aqui


Quem tem mais de 60 anos deve ficar em casa, mesmo sem sintomas. Os demais, evitem circulação nas ruas. Proteja você e sua família :  Clique aqui


Neste vídeo dos Direitos Humanos a secretária nacional da Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Priscilla Gaspar, esclarece por que é fundamental limpar os equipamentos de uso pessoal das pessoas com deficiência :  Clique aqui


Coronavírus – Fake News :  Clique aqui


Coronavírus –– Isolamento Domiciliar :  Clique aqui


Medidas para prevenção :  Clique aqui


Etiquetas de higiene :  Clique aqui


Como lavar as mãos de forma correta :  Clique aqui


Quer tirar dúvidas sobre o coronavírus? O Ministério da Saúde responde :  Clique aqui


O QUE É UM CORONAVÍRUS?
Os coronavírus são uma extensa família de vírus que podem causar doenças em animais e humanos. Em humanos, sabe-se que vários coronavírus causam infecções respiratórias que podem variar do resfriado comum a doenças mais graves, como a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda grave (SARS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença de coronavírus COVID-19.


O QUE É O COVID-19?
COVID-19 é a doença infecciosa descoberta mais recentemente causada pelo coronavírus. Tanto o novo vírus quanto a doença eram desconhecidos antes do surto em Wuhan, China, em dezembro de 2019.


QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO COVID-19?
Os sintomas mais comuns do COVID-19 são febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem sentir dor, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarréia. Esses sintomas geralmente são leves e aparecem gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas e não estão doentes. A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem a necessidade de qualquer tratamento especial. Cerca de 1 em cada 6 pessoas que recebem COVID-19 desenvolvem uma doença grave e têm dificuldade para respirar. As pessoas idosas e as que têm condições médicas subjacentes, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves. Cerca de 2% das pessoas que contraíram a doença morreram.


COMO O COVID-19 SE ESPALHA?
Uma pessoa pode obter o COVID-19 do contato com alguém que está infectado com o vírus. A doença pode se espalhar de pessoa para pessoa através de gotículas do nariz ou da boca que são jogadas fora quando uma pessoa infectada tosse ou exala. Essas gotículas caem sobre objetos e superfícies ao redor da pessoa, para que outras pessoas possam pegar o COVID-19 se tocarem nesses objetos ou superfícies e tocarem nos olhos, nariz ou boca. Eles também podem ser espalhados pela inalação de gotículas que uma pessoa com COVID-19 espalhou através da tosse ou da expiração. Portanto, é importante ficar a mais de 1 metro (3 pés) de uma pessoa doente.
A OMS está estudando a pesquisa em andamento sobre as formas de disseminação do COVID-19 e continuará relatando os resultados atualizados.


O VÍRUS QUE CAUSA O COVID-19 PODE SER TRANSMITIDO PELO AR?
Estudos até o momento sugerem que o vírus que causa o COVID-19 é transmitido principalmente pelo contato com gotículas respiratórias, e não pelo ar.


É POSSÍVEL OBTER O COVID-19 EM CONTATO COM UMA PESSOA QUE NÃO APRESENTA NENHUM SINTOMA?
A principal maneira de espalhar a doença é através das gotículas respiratórias expelidas por alguém ao tossir. O risco de contrair COVID-19 de alguém que não apresenta nenhum sintoma é muito baixo. No entanto, muitas pessoas que recebem COVID-19 apresentam apenas sintomas leves. Isto é particularmente verdadeiro nos estágios iniciais da doença. Portanto, é possível obtê-lo de alguém que, por exemplo, só tem tosse leve e não se sente doente. A OMS está revisando as investigações em andamento sobre o período de transmissão do COVID-19 e continuará relatando os resultados atualizados.


É POSSÍVEL OBTER O COVID-19 DO CONTATO COM AS FEZES DE UMA PESSOA COM A DOENÇA?
O risco de contrair COVID-19 do contato com as fezes de uma pessoa infectada parece ser baixo. Embora a pesquisa inicial sugira que o vírus possa estar presente em alguns casos nas fezes, a disseminação por essa via não é uma das características do surto. A OMS está revisando a pesquisa em andamento sobre a maneira como o COVID-19 é difundido e continuará relatando os novos resultados. No entanto, é um risco e, portanto, é mais um motivo para lavar as mãos com frequência, depois de ir ao banheiro e antes de comer.


O QUE POSSO FAZER PARA ME PROTEGER E IMPEDIR A PROPAGAÇÃO DA DOENÇA?
MEDIDAS DE PROTEÇÃO PARA TODAS AS PESSOAS
Mantenha-se atualizado com as informações mais recentes sobre o surto de COVID-19, que podem ser acessadas no site da OMS e através das autoridades relevantes de saúde pública nos níveis nacional e local. Casos foram relatados em muitos países do mundo e ocorreram surtos em vários deles. As autoridades chinesas e outras conseguiram retardar ou interromper o progresso do surto, mas a situação é imprevisível e as últimas notícias precisam ser verificadas regularmente.
Existem várias precauções que podem ser tomadas para reduzir a chance de obter ou espalhar o COVID-19:

• Lave bem as mãos e com freqüência usando um desinfetante à base de álcool ou água e sabão.
Porque Lavar as mãos com água e sabão ou usar um desinfetante à base de álcool mata vírus que podem estar nas suas mãos.
• Mantenha uma distância mínima de 1 metro (3 pés) entre você e qualquer pessoa que tosse ou espirra.
Porque Quando alguém tosse ou espirra, gotas de fluido que podem conter o vírus são liberadas pelo nariz ou pela boca. Se você estiver muito perto, pode respirar as gotículas e com elas o vírus COVID-19, se a pessoa que está tossindo tiver a doença.
• Evite tocar nos olhos, nariz e boca
Porque As mãos tocam muitas superfícies e podem pegar vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz ou boca. A partir daí, o vírus pode entrar no seu corpo e causar doenças.
• Você e as pessoas ao seu redor devem manter uma boa higiene das vias aéreas. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o cotovelo dobrado ou com um lenço de papel quando tossir ou espirrar. O lenço usado deve ser descartado imediatamente.
Porque Os vírus se espalham através de gotículas. Ao manter uma boa higiene respiratória, você protege as pessoas ao seu redor contra vírus como resfriado, gripe e COVID-19.
• Fique em casa se não estiver se sentindo bem. Se você tiver febre, tosse e falta de ar, procure atendimento médico e ligue com antecedência. Siga as instruções das autoridades de saúde locais.
Porque As autoridades nacionais e locais terão as informações mais atualizadas sobre a situação em sua área. Ligar com antecedência permitirá que seu médico o direcione rapidamente para o centro de saúde certo. Isso também irá protegê-lo e ajudar a impedir a propagação de vírus e outras infecções.
• Mantenha-se informado sobre as últimas notícias sobre o COVID-19. Siga as orientações do seu médico, autoridades sanitárias nacionais e locais relevantes ou seu empregador sobre como proteger a si e a outras pessoas do COVID-19.
Porque As autoridades nacionais e locais terão as informações mais atualizadas sobre se o COVID-19 está se espalhando em sua área. Eles são os interlocutores mais adequados para dar conselhos sobre o que as pessoas na sua área devem fazer para se proteger.
• Confira as últimas notícias sobre as áreas mais perigosas (ou seja, as cidades e lugares onde a doença está se espalhando mais amplamente). Se possível, evite mudar para essas áreas, especialmente se você é idoso ou tem diabetes, doenças cardíacas ou pulmonares.
Porque Essas precauções devem ser tomadas nessas áreas, porque a probabilidade de contrair COVID-19 é maior.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO PARA PESSOAS QUE ESTÃO EM ÁREAS ONDE O COVID-19 ESTÁ SE ESPALHANDO OU QUE AS VISITARAM RECENTEMENTE (NOS ÚLTIMOS 14 DIAS)
• Siga as diretrizes descritas acima (medidas de proteção para todas as pessoas)
• Fique em casa se começar a se sentir mal, mesmo que envolva sintomas leves como dor de cabeça, febre leve (37,3 o C ou superior) e coriza leve, até se recuperar. Se você precisar sair de casa ou fazer uma visita (por exemplo, para obter comida), coloque uma máscara para evitar infectar outras pessoas.
Porque Evitar o contato com outras pessoas e as visitas aos centros médicos permitirá que os centros funcionem de maneira mais eficaz e ajudará a proteger você e outras pessoas contra possíveis infecções pelo vírus COVID-19 ou outras pessoas.
• Se você tiver febre, tosse e falta de ar, procure orientação médica rapidamente, pois isso pode ocorrer devido a uma infecção respiratória ou outra condição séria. Ligue com antecedência e informe o seu médico sobre quaisquer viagens que você fez recentemente ou qualquer contato que tenha tido com viajantes.
Porque Ligar com antecedência permitirá que seu médico o direcione rapidamente para o centro de saúde certo. Isso também ajudará a impedir a propagação de vírus e outras infecções.


QUAL A PROBABILIDADE DE O COVID-19 OBTER?
O risco depende de onde você está e, mais especificamente, se um surto de COVID-19 está ocorrendo nesse local.
Para a maioria das pessoas na maioria dos lugares, o risco de contrair essa doença permanece baixo. No entanto, sabemos que existem alguns lugares (cidades ou áreas) onde está se espalhando e onde o risco de contratá-lo é maior, tanto para as pessoas que moram nelas quanto para quem as visita. Governos e autoridades de saúde estão agindo com determinação toda vez que um novo caso de COVID-19 é detectado. É importante que todos respeitemos as restrições de viagens, viagens e as concentrações de massa de pessoas aplicáveis a cada local específico. Se cooperarmos com medidas para combater a doença, reduziremos o risco de cada um de nós contrair ou espalhar a doença.
Como foi comprovado na China e em outros países, é possível interromper os surtos de COVID-19 e encerrar sua transmissão. No entanto, a grande velocidade com que surtos novos surgem nos obriga a estar cientes da situação nos lugares onde estamos ou para onde pretendemos ir.


DEVO ME PREOCUPAR COM O COVID-19?
Os sintomas do COVID-19 são geralmente leves, especialmente em crianças e adultos jovens. No entanto, eles também podem ser graves e forçar cerca de um em cada cinco infectados a hospitalizar. Portanto, é bastante normal se preocupar com os efeitos que o surto de COVID-19 pode ter sobre nós e nossos entes queridos.
Essa preocupação deve nos ajudar a adotar medidas de proteção para nós mesmos, nossos entes queridos e as comunidades em que vivemos. A principal e mais importante medida é a higiene regular e completa das mãos e do trato respiratório. Segundo, é importante manter-se informado e seguir os conselhos das autoridades locais de saúde, como as relacionadas a viagens, deslocamentos e eventos em que um grande número de pessoas pode estar concentrado.


QUEM CORRE O RISCO DE DESENVOLVER UMA DOENÇA GRAVE?
Ainda temos muito a aprender sobre como o COVID-2019 afeta os seres humanos, mas parece que pessoas mais velhas e pessoas com condições médicas pré-existentes (como pressão alta, doenças cardíacas ou diabetes) desenvolvem casos graves da doença com mais frequência do que outros.


EXISTEM MEDICAMENTOS OU TERAPIAS PARA PREVENIR OU CURAR O COVID-19?
Embora alguns remédios ocidentais, tradicionais ou domésticos possam proporcionar conforto e aliviar os sintomas do COVID-19, não há evidências de que os medicamentos atuais possam prevenir ou curar a doença. A OMS não recomenda a automedicação, principalmente com antibióticos, para prevenir ou curar o COVID-19. Existem vários ensaios clínicos em andamento com medicamentos tradicionais e ocidentais. A OMS fornecerá informações atualizadas assim que os resultados dos ensaios clínicos estiverem disponíveis.


EXISTE UMA VACINA, MEDICAMENTO OU TRATAMENTO PARA O COVID-19?
Ainda não. Até o momento, não há vacina específica ou medicamento antiviral para prevenir ou tratar o COVID-2019. No entanto, as pessoas afetadas devem receber assistência médica para aliviar os sintomas. Pessoas com casos graves da doença devem ser hospitalizadas. A maioria dos pacientes se recupera com a ajuda de medidas de apoio.
Possíveis vacinas e diferentes tratamentos farmacológicos específicos estão sendo investigados. Existem ensaios clínicos em andamento para testá-los. A OMS está coordenando esforços para desenvolver vacinas e medicamentos para prevenir e tratar o COVID-19.
As maneiras mais eficazes de proteger você e outras pessoas do COVID-19 são: lave as mãos com frequência, cubra a boca com o cotovelo ou o tecido ao tossir e mantenha uma distância de pelo menos 1 metro ( 3 pés) com pessoas que tossem ou espirram. (Consulte O que posso fazer para me proteger e impedir a propagação da doença?)


COVID-19 E SARS SÃO IGUAIS?
Não. O genoma do vírus que causa o COVID-19 e o responsável pela síndrome respiratória aguda grave (SARS) são semelhantes, mas não são os mesmos. A SARS é mais mortal, mas muito menos infecciosa que a COVID-19. Desde 2003, não houve surtos de SARS em nenhum lugar do mundo.


DEVO USAR UMA MÁSCARA PARA ME PROTEGER?
Se os sintomas respiratórios característicos do COVID-19 não aparecerem (especialmente tosse) ou se você não cuidar de uma pessoa que pode ter contraído essa doença, não é necessário usar uma máscara clínica. Lembre-se de que as máscaras descartáveis só podem ser usadas uma vez e lembre-se de que, se você não estiver doente ou não cuidar de alguém, estará desperdiçando uma máscara. O estoque mundial de máscaras faciais está acabando e a OMS recomenda que sejam usadas com sensatez.
A OMS aconselha o uso racional de máscaras clínicas, para não desperdiçar ou usar indevidamente ferramentas valiosas (consulte a seção Quando e como usar uma máscara ).
As medidas mais eficazes contra o COVID-19 para proteger a si e aos outros são: lave as mãos com frequência, cubra a boca com o cotovelo ou com um lenço de papel ao tossir e mantenha uma distância de pelo menos 1. metro (3 pés) com pessoas que tossem ou espirram. Para obter mais informações a esse respeito, consulte as medidas básicas de proteção contra o novo coronavírus.


COMO COLOCAR, USAR, TIRAR E DESCARTAR UMA MÁSCARA
1. Lembre-se de que apenas profissionais de saúde, profissionais de saúde e pessoas com sintomas respiratórios, como febre e tosse, devem usar uma máscara.
2. Antes de tocar na máscara, lave as mãos com um desinfetante à base de álcool ou água e sabão.
3. Inspecione a máscara quanto a rasgos ou orifícios.
4. Vire para cima (onde a tira de metal está localizada).
5. Certifique-se de apontar o lado correto da máscara (o lado colorido).
6. Coloque a máscara em seu rosto. Aperte a tira de metal ou a borda rígida da máscara para que ela se adapte à forma do seu nariz.
7. Puxe a parte inferior da máscara para cobrir a boca e o queixo.
8. Após o uso, remova a máscara; remova as tiras elásticas por trás das orelhas, mantendo a máscara afastada do rosto e das roupas, para não tocar nas superfícies potencialmente contaminadas da máscara.
9. Descarte a máscara em um recipiente fechado imediatamente após o uso.
10. Lave as mãos após tocar ou descartar a máscara. Use um desinfetante à base de álcool ou, se estiverem visivelmente sujos, lave-os com água e sabão.


QUANTO TEMPO DURA O PERÍODO DE INCUBAÇÃO DO COVID-19?
O "período de incubação" é o tempo entre a infecção pelo vírus e o aparecimento dos sintomas da doença. A maioria das estimativas para o período de incubação do COVID-19 varia de 1 a 14 dias e geralmente é de cerca de cinco dias. Essas estimativas serão atualizadas à medida que mais dados estiverem disponíveis.


OS SERES HUMANOS PODEM CONTRAIR O VÍRUS COVID-19 DO CONTATO COM UM ANIMAL?
Os coronavírus são uma extensa família de vírus que são comuns entre morcegos e outros animais. Raramente, as pessoas são infectadas com esses vírus, que podem se espalhar para outras pessoas. Por exemplo, o SARS-CoV foi associado a civetas e o MERS-CoV é transmitido através de dromedários. A possível origem animal do COVID-19 ainda não foi confirmada.
Como medida de proteção ao visitar mercados de animais vivos ou em outras situações semelhantes, evite o contato direto com animais e superfícies que estejam em contato com eles. Certifique-se de que as práticas adequadas de higiene alimentar sejam seguidas o tempo todo. Manuseie carne crua, leite ou órgãos de animais com cuidado para evitar a contaminação de alimentos não cozidos e o consumo de produtos de origem animal crua ou mal cozida.


MEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO PODE ME INFECTAR COM COVID-19?
Embora tenha havido um caso de um cachorro infectado em Hong Kong, até o momento não há evidências de que um cão, gato ou qualquer animal de estimação possa transmitir o COVID-19. O COVID-19 é transmitido principalmente através de gotículas produzidas por uma pessoa infectada, tossindo, espirrando ou conversando. Para se proteger, lave bem as mãos com frequência.
A OMS é mantida a par das pesquisas mais recentes a esse respeito e de outras questões relacionadas ao COVID-19 e fornecerá informações atualizadas sobre as conclusões que são tiradas.


QUANTO TEMPO O VÍRUS SOBREVIVE NA SUPERFÍCIE?
Não se sabe por quanto tempo o vírus causador do COVID-19 sobrevive à superfície, mas parece se comportar como outros coronavírus. Estudos (incluindo informações preliminares disponíveis sobre o vírus COVID-19) indicam que o coronavírus pode subsistir na superfície por algumas horas a vários dias. O tempo pode variar de acordo com as condições (por exemplo, o tipo de superfície, a temperatura ou a umidade do ambiente).
Se você acha que uma superfície pode estar infectada, limpe-a com um desinfetante comum para matar o vírus e, assim, proteger a si e aos outros. Lave as mãos com um desinfetante à base de álcool ou água e sabão. Evite tocar nos olhos, boca ou nariz.


É SEGURO RECEBER UM PACOTE DE UMA ÁREA ONDE FORAM RELATADOS CASOS DE COVID-19?
Sim. A probabilidade de uma pessoa infectada contaminar itens comerciais é baixa, e o risco de contrair o vírus que causa o COVID-19 do contato com uma embalagem que foi manipulada, transportada e exposta a diferentes condições e temperaturas também é baixo.


EXISTE ALGO QUE EU NÃO DEVO FAZER?
As seguintes medidas NÃO são eficazes contra o COVID-2019 e podem ser prejudiciais:
• Fumar
• Use várias máscaras
• Tomar antibióticos ( consulte Existem medicamentos ou terapias que previnem ou curam o COVID-19? )
De qualquer forma, se você estiver com febre, tosse e falta de ar, procure atendimento médico o mais rápido possível para reduzir o risco de desenvolver uma infecção mais grave e informe o seu médico sobre suas viagens recentes.

Também com o objetivo de alertar e esclarecer a população sobre as Fake News que começaram a ser disseminadas sobre o tema, foi disponibilizado um número de WhatsApp para envio de mensagens da população para apuração pelas áreas técnicas do Ministério da Saúde e respondidas oficialmente se são verdade ou mentira.
Qualquer cidadão poderá enviar gratuitamente mensagens com imagens ou textos que tenha recebido nas redes sociais para confirmar se a informação procede, antes de continuar compartilhando. O número é (61) 99289-4640.


VEJA O QUE É FAKE SOBRE O CORONAVÍRUS :  Clique aqui

O Ministério da Saúde lança o app Coronavírus-SUS com o objetivo de conscientizar a população sobre o Corona Vírus COVID-19, para isso o aplicativo conta com as seguintes funcionalidades:

- Informativos de diversos tópicos como os sintomas, como se prevenir, o que fazer em caso de suspeita e infecção e etc;

- Mapa indicando unidades de saúde próximas;

- Em caso de suspeita de infecção, o cidadão pode conferir se os sintomas são compatíveis com o do Corona, e caso seja será instruído e encaminhado para a unidade de saúde básica mais próxima;
Os aplicativos estão disponíveis para usuários dos sistemas operacionais iOS e Android:


Para baixar o app iOS :  Clique aqui


Para baixar o app Android :  Clique aqui

Anexos
APLICATIVO CORONAVÍRUS.png

Quem usa o WhatsApp, usa figurinhas nas conversas. Por isso, o Ministério da Saúde e o aplicativo lançaram um pacote de figurinhas com informações sobre como se prevenir do #coronavírus.


Clique aqui e saiba como baixar e usar as figurinhas :  Clique aqui

Anexos
WHATSAPP.png
Tenha acesso a Cursos e a Consultoria do Coronavírus
nformação para prevenção | O Ministério da Saúde disponibiliza o primeiro curso do Brasil para prevenção contra o #coronavírus

• . Dividida em 4 unidades, a CAPACITAÇÃO tem como objetivo esclarecer as principais características da doença
Anexos
CURSO CORONAVIRUS MINISTERIO DA SAUDE..png
Consultoria gratuita sobre #coronavírus. Médicos e enfermeiros da Atenção Primária e da Estratégia Saúde da Família podem tirar dúvidas sobre a doença no canal de atendimento exclusivo, de segunda a sexta, das 8h às 17h30. É só ligar0800 644 6543
Anexos
CONSULTORIA CORONAVIRUS - MINISTERIO DA SAÚDE..png

Vírus respiratórios emergentes, incluindo COVID-19: métodos para detecção, prevenção, resposta e controle
O curso é uma ação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que fornece noções sobre os vírus respiratórios emergentes, inclusive o novo coronavírus. A Enap, com o objetivo de disseminar conhecimento sobre o assunto, oferta o curso na EV.G para que servidores públicos e qualquer pessoa interessada tenham os devidos esclarecimentos. Você também poderá ter mais informações nos portais da OMS e do Ministério da Saúde.


OFERTA
CONTEUDISTA
OMS
CERTIFICADOR
Enap
CARGA HORÁRIA
10h
DISPONIBILIDADE
30 dias
PÚBLICO ALVO
O curso é destinado a todos os agentes públicos e a qualquer pessoa interessada no assunto.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
 Módulo Introdutório
 Módulo A - Introdução aos vírus respiratórios emergentes, incluindo o COVID-19;
 Módulo B - Vigilância aprimorada e investigações de surtos de patógenos respiratórios emergente;


 Módulo C - Comunicação de risco e envolvimento comunitário;
 Módulo D - Prevenção e resposta a um vírus respiratório emergente, incluindo COVID-19;


Curso Enap - Coronavírus :  Clique aqui

Anexos
CURSO ENAP CORONAVIRUS.png

14.1 DECRETOS MUNICIPAIS E OUTRAS PUBLICAÇÕES


Decreto “NE” Nº 1329 de 18 de Março de 2020 - Estabelece medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo Novo Coronavírus (COVID19), no âmbito territorial de Araci, Estado da Bahia, na forma que indica e dá outras providências, considerando a classificação do mesmo como pandemia, pela Organização :  Clique aqui


Plano de Ação para Enfrentamento da Pandemia do (COVID-19) :  Clique aqui


Decreto “NE” Nº 1339 de 20 de março de 2020 - Estabelece medidas de suspensão da Feira Livre pelo prazo de 30 dias e recomenda a suspensão das atividades do comércio local no âmbito do Município de Araci-Ba. :  Clique aqui


Decreto “NE” Nº 1340 de 22 de Março de 2020. - Decreta horário de circulação no município de Araci e determina o fechamento dos estabelecimentos comerciais. :  Clique aqui


Decreto “NE” Nº 1341 de 23 de Março de 2020 - Regulamenta os procedimentos de contratação direta, através de Dispensa, para aquisição de bens, serviços e insumos destinados ao enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do Coronavírus (Covid19), no âmbito da administração pública do Muni :  Clique aqui


Decreto “NE” nº 1.344 de 23 de março de 2020- Regulamenta a utilização temporária da UBS - Unidade Básica de Saúde da Família do Bairro São João, enquanto perdurar a pandemia, destinada ao enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do Coronavírus (Covid-19), no âmbito da administração p :  Clique aqui


Portaria N° 5.058 de 23 de Março de 2020 - Dispõe sobre o controle de frequência de Servidores Públicos lotados na Secretaria Municipal de Saúde, bem como os alocados temporariamente pela mesma, no enfrentamento da pandemia decorrente do Coronavírus COVID-19, estabelecido no Decreto nº 1329 de 18 de :  Clique aqui


Decreto “NE” Nº 1.347 de 25 de Março de 2020 - Dispõe sobre a remoção de servidores públicos a serem alocados temporariamente para suprir as necessidades de atendimento das unidades de saúde para o enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus COVID19, estabelecido no Decreto nº 1329 de 18 de :  Clique aqui


Plano Municipal de Contingências para Enfretamento do Novo Coronavírus – COVID19 Araci – Março de 2020. :  Clique aqui


Decreto “NE” nº 1.356 de 02 de abril de 2020- Dispõe sobre o Funcionamento do Comércio e de prorrogação de prazos no âmbito do Município Araci e dá outras providências . :  Clique aqui


Decreto “NE” Nº 1.359 de 02 de Abril de 2020 - Declara a Situação de Emergência Temporária, em todo território do Município de Araci,em virtude do (COVID-19) classificado e codificado como Doenças Infecciosas Virais (cobrade 1.5.1.1.0) sendo as Medidas para Enfrentamento da Emergência de Saúde Públi :  Clique aqui


Decreto “NE” Nº 1.358 de 06 de Abril de 2020 - Cria o Comitê de Gestão e Monitoramento da Crise e dos Impactos do COVID-19 no âmbito do Município de Araci Estado da Bahia e dá outras providências. :  Clique aqui


Decreto “NE” Nº 1.361 De 08 De Abril De 2020 - Declara estado de calamidade pública no município de Araci, estado da Bahia, para o enfrentamento da emergência pública decorrente da pandemia do Coronavírus (COVID-19), na forma que indica e dá outras providências. :  Clique aqui


Plano Municipal de Contingências para Enfretamento do Novo Coronavírus – COVID-19. :  Clique aqui


Decreto “NE” Nº 1.362 De 13 De Abril De 2020 - Dispõe sobre a prorrogação de prazo quanto ao Funcionamento do Comércio no âmbito do Município Araci e dá outras providências. :  Clique aqui